sexta-feira, 16 de julho de 2010

O amor da juventude. A juventude do amor..






Me perdi no túnel. Não vejo a luz. Os olhos já se acostumaram com a escuridão.O coração não.
Você diz que acabou. Nosso amor morreu. Já não quer viver assim.O sentido se perdeu. E eu?
O frio tomou o corpo.A mágoa abraçou a alma. O calafrio apossou-se da espinha. A respiração deixou de ser calma.

Os fantasmas da solidão rondam meu travesseiro. Não consigo dormir. Passeei pela casa e relembrei os momentos. Tomei um café e chorei meu tormento.
Projetei teu sorriso na parede. Perfeito. Intacto. Pensei em te ligar. Lembrei em te esquecer.
Imaginar a vida sem você. Já não sei o que fazer. Rodar o mundo.. Pra onde correr?
Fico vulnerável sem o escudo do teu abraço. Suspirei. Vencida pelo cansaço. Adormeci com a lembrança do teu beijo..
Acordei com as batidas da solidão. A cama ainda está vazia. O quarto ainda tem seu cheiro..
O tempo parou aqui dentro. A vida passa apressada lá fora. Nos braços de quem, estará você agora?

Sorri com as lembranças. Me surpreendi com a descrição daquele amor. Na época foi cravado na pele. Hoje, é só mais um quadro embaçado.
Lembrei-me com saudade dos tempos da juventude. A intensidade presente nos momentos. A efemeridade enchendo os pulmões de vida.
A adrenalina se espalhando pelas veias. O desejo daquele olhar apaixonado. Hoje, é só mais uma lembrança com gosto de saudade.
O cheiro do café recém passado, me trouxe de volta ao presente. A responsabilidade constante. A comodidade dos momentos..
Peguei uma caneta e escrevi na última folha daquele diário..
É gostoso lembrar do amor da juventude. É penoso redescobrir a juventude do amor.

2 comentários:

Rafinha disse...

Opa, desta vez com um pouquinho de atraso, mas sempre por aqui viu!!! Não se preocupe, haha!!!

Está se tornando uma blogueira de primeira Mari, gostei!!!!

Beijos
Rafinha

Mariana disse...

muito bom.