sexta-feira, 23 de julho de 2010

Meu herói..




Hoje me lembrei de você como há muito tempo não me permitia. Deixei vir à tona as lembranças e não impedi que lágrimas de saudade cobrissem meu rosto.
O peito foi invadido por uma nostalgia melancólica. As pernas desobedeceram o comando do cérebro e fraquejaram. Sentei-me diante do seu retrato, tão bem posicionado na sala de estar, e contemplei a sua aparência tranquila. Hoje se completa mais um ano e foram tantos desde que você se foi.
O acúmulo de anos, meses e dias não foram suficientes para apagar a dor da sua ausência. Faz falta sua presença imponente e protetora. O modo como agradecia e celebrava a vida. A maneira firme de conduzir os negócios. A alegria que emanava do seu sorriso. Os braços firmes que tantas vezes ofereceram abrigo.
Eu não pude aproveitar por muito tempo. Convivi tão pouco e em uma idade que não me permite ter tantas lembranças assim. As poucas que ainda tenho guardadas trazem a confirmação de que a dor da perda não é passageira. Depois de tantos anos você continua aqui, presente e constante entre todos nós.
Não sei definir com exatidão e clareza, a imensidão do meu sentimento ao escutar seu nome ou as inúmeras histórias das quais você participou.
São tantas pessoas, tantas palavras e elogios. E agora, o sentimento que invade o peito é de satisfação. Orgulho por conhecer seu lado humano, felicidade por reconhecer que eu tenho seu sangue correndo nas veias. Sei que você está comigo, não só nas lembranças, mas do lado esquerdo do peito. Onde não há barreiras, nem distância. Sempre se fará presente nas dificuldades, onde pedirei sua ajuda para superá-las, ou até mesmo nas conquistas, onde agradecerei e dedicarei a ti, a glória do mérito. Agora, percebo que você não está tão ausente assim. A ausência é meramente física. Mas ainda posso sentir, enquanto sonho, seu abraço apertado. E os sonhos são tão reais. Sua presença é natural e necessária. Abro os olhos e não consigo distinguir o real do imaginário.
Olhei mais uma vez a sua foto e tirei os resquícios de poeira que insistiam em tampar seu sorriso. Nada me faria esquecer dele. Nem mesmo o tempo..
Deixei a sala de estar com o coração pulsando forte no peito.
E como nas histórias em quadrinho, que o personagem principal se espelha em um herói para viver e tomar as atitudes corretas, eu me espelho em você.
Deixei escapar um sorriso orgulhoso por saber que é em ti meu porto seguro. Obrigada por ser e se fazer presente.
Meu herói. Meu herói da vida real.

2 comentários:

Mariana disse...

(L)

Rafinha disse...

Marcando minha presença por aqui... Adorando este blog!!!

Beijos
Rafinha